Mitos sobre comprar local: Vamos desvendá-los todos!

Sabemos que são muitas as pessoas que não compram produtos locais por terem alguns receios e pré-conceitos sobre os mesmo e, por isso mesmo, queremos falar-vos sobre alguns dos mitos sobre comprar local. Acima de tudo, queremos ajudar-vos a fazer escolhas mais conscientes.

Comprar local é mais caro
mitos comprar local
Será que os produtos locais são mesmo mais caros?

Não concordamos com esta afirmação, contudo sabemos que é um dos mais polémicos mitos sobre comprar local. Assim, para o ajudar a compreender melhor a resposta, comparámos os preços de frutas e hortícolas em dois estabelecimentos diferentes: o primeiro é um conhecido hipermercado e o segundo um comerciante de proximidade. A fim de tornar a comparação mais justa, os produtos vendidos não estão catalogados como biológicos em nenhum dos locais e foram escolhidos de forma aleatória.

Produto Preço no hipermercado Preço no comércio local
Alho Francês 1,89€/kg 1,55€/kg
Alface frisada 1,29€/kg 1,50€/kg
Tomate cherry 3,96€/kg 2,60€/kg
Limão 1,99€/kg 0,99€/kg
Morango 2,58€/kg 3,50€/kg
Maçã Smith 2,49€/kg 2,59€/kg

Como é possível aferir, há opções mais caras e mais económicas em ambos os estabelecimentos, de fato em alguns casos a diferença de preços é bastante significativa (como o tomate cherry).

Embora seja apenas uma amostra reduzida dos preços praticados, deixamos o mote para estarem cada vez mais atentos a esta questão.

Os produtos locais são “feios” em comparação com os do supermercado

mitos comprar local
Será assim tão importante que a fruta que compramos seja toda do mesmo calibre, cor e forma?

De fato, quando vamos aos supermercados, frutas e legumes têm um aspeto suculento e tamanhos idênticos. Mas já se perguntou se isto é positivo?

Na Europa, 30% da produção agrícola acaba em desperdício alimentar, uma vez que os produtos não cumprem os requisitos das grandes superfícies. Não estamos a falar de sabor ou de segurança alimentar, mas sim aparência (forma, cor, calibre). Embora alguns desses produtos acabem como sumos, compotas e molhos, a verdade é que são vendidos a um preço inferior ao de produção, como resultado os produtores acabam em situações financeiras desfavoráveis. Inegavelmente, outra parte acaba como desperdício alimentar.

Assim sendo, é verdade que os produtos de supermercado podem ter uma melhor aparência, mas à custa de critérios que não só prejudicam os produtores, como também facilitam o desperdício alimentar.

Quando compro fruta no supermercado é mais brilhante e apetecível do que a do produtor local
Será que a fruta brilhante dos supermercados é melhor do que a de um produtor de proximidade?

Vamos então tentar compreender melhor esta questão.

A Deco publicou em março de 2019 uma nota sobre a cera que é aplicada em algumas frutas (maçãs, bem como laranjas). Esta cera, tanto quanto se sabe é cera de abelha, e é um aditivo alimentar que serve como agente de revestimento ou de transporte de corantes, espessante e estabilizador. Embora seja um aditivo permitido pela União Europeia, há indicação de que pode causar reações alérgicas e que não sai com as lavagens.

É do conhecimento geral que a casca de frutas e legumes é uma fonte não só de vitaminas, mas também de minerais, devendo ser consumida. No entanto, tendo em conta a presença desta cera, que pode causar reação alérgica, e também de pesticidas, acabamos por desperdiçar uma parte tão importante do produto que compramos.

Em suma, concordamos que a fruta no supermercado é mais brilhante e apetecível, mas apenas até o consumidor saber o porquê desse aspeto. Assim sendo, opte por produtores locais que não utilizem ceras nos seus produtos. Além disso, conhecer a origem do produto que compra, permite-lhe saber mais facilmente quais os agrotóxicos que foram usados ou não no seu cultivo.

Todos os produtos locais são biológicos
Será que todos os produtos locais são biológicos?

Este é um erro muito comum que devemos desmistificar ao máximo. Comprar produtos locais significa comprar a um produtor ou comerciante de proximidade que mais facilmente, e com mais confiança para o consumidor, lhe poderá prover todas as informações sobre o produto em questão, nomeadamente se este é ou não biológico. Um produto biológico não contém contaminantes, pesticidas ou adubos químicos, por isso se um produtor local utilizar, por exemplo, um fertilizante químico nos seus produtos, estes serão inegavelmente não biológicos.

Para que o consumidor tenha a certeza que os produtos que compra são biológicos, deve pedir a certificação dos mesmos.

Ainda assim, deixamos uma nota de que nem sempre os produtos biológicos são a melhor opção e que há várias questões em torno destes produtos que não estão bem esclarecidas perante o consumidor.

  • Os produtos biológicos podem ter fitossanitários, no entanto apenas os homologados para a produção biológica.
  • Nem toda a produção biológica opta por práticas recomendadas como a proteção dos predadores naturais, a escolha das espécies e variedades, bem como a rotação das culturas, as técnicas de cultivo e os processos térmicos, o que seria o ideal.
  • Os produtos biológicos são menos rentáveis, exigem mais solo e mais água, daí serem mais caros e, às vezes, menos sustentáveis.
  • Há agricultura tradicional que recorre a técnicas de cultivo incríveis, como a permacultura, e que deve inegavelmente ser reconhecida por esse esforço.

Não estamos com isto a desencorajar a compra de produtos biológicos ou a criticar a sua produção! Todavia, queremos promover a informação e a procura de conhecimento do consumidor e alertar para o fato de que nem sempre a opção mais publicitada é a certa.

Se comprar local estarei a fazer o suficiente para diminuir a minha pegada ecológica
Será que comprar local é o suficiente para diminuir a minha pegada ecológica?

Infelizmente esta afirmação não é verdadeira. Seria ótimo se apenas por comprar local já estivéssemos a fazer o suficiente pela nossa pegada ecológica, mas na realidade o planeta precisa de muitos pequenos passos. A saber alguns passos para uma vida mais sustentável:

  • Comprar local
  • Evitar o desperdício alimentar
  • Reduzir o consumo de produto animal
  • Evitar o plástico
  • Dar uma nova vida ao que temos em casa
  • Fazer compras mais conscientes (optar por reutilizar ou comprar em segunda mão)
  • Diminuir a utilização de transporte privado e optar por transportes públicos ou verdes (como a bicicleta)
  • E muito mais!
Comprar local não é prático
Será que comprar local é prático?

Certamente um dos maiores mitos sobre comprar local, mas não há como discordar mais desta afirmação!

Atualmente há mil e uma formas de comprar local, não é só ir ao mercado pela manhã (embora qualquer pessoa deva fazer uma visita ao seu mercado municipal, porque é a forma mais fácil de conhecer novos produtores e comerciantes!). Contudo, sabemos que a vida é bastante atarefada e que, cada vez mais, o normal é sair de casa cedo e voltar tarde. Por isso, procuramos praticidade acima de tudo e o que é mais prático do que ir ao supermercado e encontrar tudo no mesmo sítio? Comprar local, certamente! Hoje em dia há tantos comerciantes e produtores com entregas em casa (inesperadamente muitas delas gratuitas!) que é quase impossível dizer que comprar local não é prático.  Regra geral, a encomenda é simples (feita ou online ou por telefone) e as entregas são rápidas e no melhor horário para si.

Ou seja…

Afinal, alguns destes mitos sobre comprar local não fazem qualquer sentido, certo? Então vamos lá apostar em escolhas mais conscientes e com impacto na sustentabilidade do nosso planeta!

Por fim, para saberem mais sobre sustentabilidade aconselhamos consultarem este site fantástico e encontrarem os melhores produtores e comerciantes de proximidade aqui. Decerto vão encontrar informações úteis!


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *